Telefone: 011 3257-0763

Capsulite Adesiva | Tudo Sobre Ombro

Capsulite Adesiva

Capsulite Adesiva

Texto de Dr. Joel Murachovsky Contatos: 11-37391334 ou 11-32570763

Capsulite Adesiva (Ombro Congelado) Causas, Sintomas e Tratamento

 

 

Retração da cápsula na região do recesso axilar- característica da capsulite adesiva

A capsulite adesiva é caracterizada por uma restrição dolorosa e progressiva dos movimentos ativos e passivos do ombro.

Acomete mais o lado não dominante, aquele que usamos menos, e em  pacientes do sexo feminino, na sua maioria entre a 5ª ou 6ª década de vida. Em 20 a 30% dos casos, incide em ambos os  ombros.

Existe um aumento na prevalência da capsulite adesiva  em pacientes que têm Diabetes Mellitus, doenças da tireóide, Infarto do Miocárdio, Acidente Vascular Cerebral, doenças auto-imune e trauma, quando comparados à população geral, que é de aproximadamente 2%.

O início da dor é insidioso e faz com que o paciente limite gradativamente os movimentos do ombro acometido. O paciente percebe que não consegue realizar atividades da vida diária, que requerem elevação do membro acima da altura do ombro ou sua rotação. A dor, normalmente, piora aos extremos dos movimentos e à noite, mas tende a diminuir progressivamente com o passar do tempo, porém a limitação dos movimentos permanece.

Hoje existem evidências de que a capsulite seja uma evolução de uma sinovite (inflamação da membrana sinovial, dentro das articulações) e posterior reação de fibrose da capsula articular.

Podemos classificar a capsulite adesiva, quanto a sua etiologia e gravidade.

A capsulite primária ou idiopática é aquela que não tem uma etiologia identificada. A secundária é subdividida em: problemas intrínsecos do ombro, extrínsecos e sistêmicos. A gravidade foi dividida em: leve, moderada ou grave, dependendo do grau de limitação do movimento, observado no exame físico.

A capsulite idiopática ou primária,  pode ser dividida em fases: dolorosa ou congelamento, rigidez e resolução. São diferenciadas pela história, tempo de evolução da doença e exame físico, inclusive com o paciente anestesiado. Por meio da da artroscopia, procedimento cirúrgico realizado através de mini cameras  que são introduzidas dentro da cavidade articular e vistas através de um monitor,  também é possível perceber diferenças significativas em cada uma das fases.

O diagnóstico é feito pela história que o  paciente conta ao médico e através do  exame físico que realizamos durante a consulta ; mas os exames de imagem são importantes para se descartar possíveis diagnósticos diferenciais. A radiografia simples mostra uma osteopenia (perda de massa óssea)  localizada no ombro acometido e a ressonância magnética, que deve ser realizada com contraste articular mostra a perda do recesso axilar e do recesso posterior, regiões anatomicas presentes no exame normal.

O tratamento da capsulite adesiva visa diminuir a dor e tentar quebrar o ciclo da doença através do uso de analgésicos, anti-inflamatórios e medicações que visam aumentar o limiar da dor do paciente, associados à fisioterapia que deve ser iniciada somente quando a dor no ombro diminuí. Quando não é possível o ganho de movimento, existem técnicas, tais como: manipulação sob narcose, distensão hídrica, e liberação artroscópica, que através de lesões na cápsula articular e ligamentos, levam ao ganho de movimento.
Outro método de tratamento descrito é o bloqueio do nervo supra-escapular. Este visa não somente tratar a conseqüência da capsulite (limitação da ADM), mas também a dor no ombro. Parte importante da inervação articular simpática  e sensitiva é dada pelo nervo supra-escapular e a técnica consiste em infiltrar anestésico na região supra escapular, trajeto do nervo . Podem ser necessários várias infiltrações,  podendo chegar  até 15 bloqueios.

Joel Murachovsky

Dr. Joel Murachovsky é Ortopedista, especialista em cirurgia de Ombro e Cotovelo, com formação realizada no departamento de ortopedia e traumatologia da Santa Casa de São Paulo. Contatos: 11 - 32570763 ou 11 - 37438251

16 Comments on “Capsulite Adesiva

  • MARIA LUIZA LORENZOTTI janeiro 9, 2015 at 13:07

    Fiz uma artroscopia no dia 23/10/12, atualmente estou fazendo fisioterapia, ainda continuo com alguns limites como por exemplo,não consigo elevar meus braços pentear os cabelos fechar meu sutiã etc. Pois sinto muitas dores ainda,quanto tempo de tratamento para voltar ao normal. abç

  • izabel guimaraes junho 6, 2015 at 11:30

    nao tenho a menor condicao de fazer a ressonancia magnetica. alto grau de fobia, tive a sensacao de morte dentro do equipamento e tive q sair rapidamente. nem mesmo o equipamento aberto suportei, pois aquela “parede” no meu rosto foi horrivel! que outro exame permite o diagnostico da capsulite adesiva?

  • Alexandre da Rocha Gonzalez filho setembro 22, 2015 at 05:00

    Dr. Joel Murachovsky, sou atleta. Pratico diversos tipos de esportes e todos demandam muita força, principalmente na articulação do ombro, pratico musculação constantemente com uso de muito peso e exercícios variados,surfe,caça submarina,etc. Sofri um acidente de motocicleta e fraturei o tubérculo maior do úmero esquerdo (sou canhoto). Com a violência do impacto o ombro deslocou e fraturou, uma fratura moderada e estou em tratamento conservador.Já se passou um mês e oito dias, estou na quarta sequência de fisioterapia,mas, devido as dores constantes, só recebo leves choques elétricos no ombro e nada de exercícios por enquanto. A hora de dormir é o pior momento. Dor aguda e não existe posição alguma que alivie,só piora,então levanto e coloco gelo três vezes por noite. Meu pesadelo é já estar apresentando síntomas de Capsulite Adesiva. Preciso desinflamar logo esse ombro…o que faço? Obrigado.

    • pode ser sim, por favor converse com seu medico sobre tal possibilidade, a ressonancia ajuda a confirmar o diagnostico, assim como o exame clinico bem feito. se o seu medico não for especialista em ombro , pergunte a ele se ele poderia lhe indicar um para cuidar disso. Isso pode acontecer sim…

  • Samuel Maximo novembro 24, 2015 at 09:28

    Bom dia Dr Joel.

    Ha um ano comecei a sentir dores no ombro direito e foram aumentando com o tempo com leves restrições de alguns movimentos. Procurei o ortopedista que solicitou a RNM com diagnostico de capsulite adesiva. Hoje faço uso de Dorene 75mg, estou completando 60 sessões de fisioterapia e não vi qualquer melhora no tratamento. Ha 4 meses atras as dores leves começaram tambem no ombro esquerdo mas percebo melhora nesse lado. Do lado direito movimentos como pentear o cabelo, levantar qualquer peso independente da altura, alcançar algumas regiões do corpo estão cada vez mais dificeis e algumas dessas ja não consigo fazer, dormir esta cada vez mais dificil e as vezes fico acordado a noite toda. A noite e no frio, as dore aumentam muito. Dr, estou com medo de perder meu braço direito. Tenho 47 anos e muita vida pela frente. Poderia me ajudar?

  • Marina neiva abril 3, 2016 at 20:52

    É possível ter novamente? Já tive nos dois ombros melhorou e agora estou sentindo uma dor no ombro direito ! Por favor me responda

  • Maria Aparecida junho 24, 2016 at 21:04

    Fui diagnosticada com capsulite adesiva em abril. Ja fiz 43 sessoes de fisioterapia. No inicio tomei varios medicamentos, quando a dor era insuportável. Hoje ainda sinto dor, mas suportavel. Tenho um inchaço proximo a axila, que esta dolorida estes dias. Ja fiz ultrassom e mamografia e nao foi diagnosticado nada. Tem a ver com a capsulite adesiva?

  • Adriana junho 26, 2016 at 16:50

    Boa tarde Dr. Joel! Fiz cirurgia devido à uma luxação acromioclavicular, e até o segundo procedimento cirúrgico para a retirada do material e o início da fisioterapia, foram 3 meses imobilizada com tipoia. Meu ombro está bem travado, os movimentos limitados, e na primeira avalização com o fisioterapeuta, ele tentou levantar meu braço acima do ombro e como não conseguiu (quase chorei de dor), disse que a cápsula pode ter colado no osso. No momento, estou no início da fisioterapia (4 sessões, ainda sem fazer exercícios), e o retorno ao ortopedista será apenas daqui a algumas semanas, mas tenho pesquisado na internet sobre capsulite adesiva e estou bem assustada com a possibilidade, contudo não sinto as dores intensas que são descritas pelos pacientes, dói apenas quando forço os movimentos. Nesse caso, a rigidez causada pela imobilização pode ser capsulite adesiva? Desde já agradeço.

  • Eliana Aparecida Ferreira junho 28, 2016 at 08:38

    Bom dia
    Tenho muita dor no ombro.não consigo dormir agora ele também fica com as mao enformigada .fiz ressonância deu borigem. Pode ser também.

Comments are closed.