Fratura de Clavícula

texto de Dr. Joel Murachovsky     Contatos: 11-32570763   ou   11- 37438251

FRATURA DE CLAVÍCULA Causas, Sintomas e Tratamento

A Clavícula é o osso da parte da frente do ombro. É fácil palpar esse osso e devido a sua localização superficial, um trauma nessa região pode quebrá-la. Esse osso protege vasos sanguíneos e o plexo Braquial e diversos músculos têm relação anatômica com a Clavícula.

A Fratura de Clavícula é uma causa de dor no ombro e representa, aproximadamente, 40% das frauras que ocorrem na cintura escapular.

O mecanismo mais comum para causar uma fratura de Clavícula é o trauma direto sobre o ombro, seja por um objeto ou após uma queda.

O paciente apresenta dor no ombro, edema local, deformidade, um hematoma localizado e impotência funcional.

Em um paciente com Fratura de Clavícula, o exame neurológico é importante, pois pode ocorrer lesão do Plexo Braquial e, examinar a perfusão e pulsos distais também, já que vasos importantes passam próximo a Clavícula.

Normalmente, a radiografia simples é capaz de diagnosticar uma fratura de Clavícula, mas duas a três incidências devem ser solicitadas. Apenas em casos especiais a tomografia tem indicação (certas fraturas do terço lateral ou do terço medial).

Os objetivos do tratamento são: a consolidação da fratura, mínima deformidade e retorno as suas atividades funcionais. Depende da idade do paciente, atividades do paciente, condições locais e gerais do paciente, localização da fratura e presença de lesões associadas.

O tratamento não cirúrgico é indicado quando há pouco desvio entre os fragmentos, isso é mais comum nas fraturas do  terço proximal  e terço médio e, em certos tipos de fraturas do terço lateral.

Quando é possível o tratamento conservador, prefiro a imobilização com a tipóia de lona, evitando que o paciente realize a elevação do braço até a consolidação da fratura. Permitimos ao paciente que ele realize flexo-extensão do cotovelo e rotação lateral passiva e ativa-assistida. Após a consolidação da fratura o paciente inicia fisioterapia para  ganho de amplitude de movimento e, posteriormente, fortalecimento da musculatura da cintura escapular.

Existem situações em que devemos indicar o tratamento cirúrgico, tais como: ombro flutuante, fratura exposta, desvios acentuados e algumas fraturas da porção lateral da clavícula.

A técnica cirúrgica depende da localização da fratura. Geralmente, as fraturas do terço médio da clavícula são tratadas com placa e parafusos e, se necessário, enxerto ósseo. Já as fraturas do terço lateral podem ser tratadas com dupla amarrilha de fios inabsorvíveis e estamos realizando realizando esse procedimento por artroscopia e a

Fratura de Clavícula tratada com placa e parafusos

reabilitação segue o mesmo princípio do tratamento conservador.